19 de agosto de 2010

"Professora castigada por reprovar mais de metade dos alunos"

Foi na minha faculdade, UNL-FCT.
Ela, Professora Elvira Gaspar, deu-nos aulas de técnicas de laboratório e segurança (aka TLS), e era regente da cadeira.
O que não se percebe na notícia lançada é: como é que uma docente chumba mais de metade dos alunos da cadeira, quando só avaliou 1/4 dos mesmos!?

Isto foi com toda a certeza levado a cabo por "alguém" que a quereria remover do cargo. Mas esse alguém não olhou a meios e desrespeitou a professora não averiguando a situação e não entrando em contacto com a mesma.

O nosso país está a entrar numa fase cada vez mais regida pelo facilitismo! Isto é uma vergonha nacional!

Notícia vista aqui.

Partilho a seguinte mensagem enviada internamente a todos os alunos de química, e que deverá tornar-se pública: Reacção dos Representantes dos Alunos do Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

7 comentários:

Ritchie disse...

Ora pois está claro... então se tem havido muitos chumbos dispensa-se o professor que os leva (em parte9 a cabo... logicamente que as medidas avançadas no documento de reacção que nos colocas no final do texto não servem para nada... mais tempo para dúvidas? Não, lá agora... para quê? Troca-se a professora e vem outra que passa todos na cadeira e está o problema resolvido. Saem de lá burros mas passados.
Fico doente com o facilitismo e a forma como tudo no nosso país é feito com post-its colados com cuspo. E hoje já é a segunda vez que me apercebo de que, em Portugal, funciona tudo muito, mas mesmo muito, bem!

tiago disse...

Não percebi se a Sr. de facto merecia ser afastada da regência, mas de todo modo adorei a carta escrita pelos representantes dos alunos. Seria de esperar que a decisão fosse aplaudida face à dificuldade que é ser aprovado na cadeira. Estão de parabéns!

Hydrargirum disse...

Fazendo o favor de opinar...mas sem me querer enervar com a situação...que isto daria panos para mangas...

Eu já fui professor universitário em 2 países...e fico desvairado com a atitude de muitos dos alunos...não sabem, não querem saber, e indago-me o que fariam no ensino superior...

Isto de travar e remover todos os impedimentos à estupidez crassa que grassa no meu País tem de ter término...!

Vasco disse...

Hydrargirum,
Pois, tem mesmo de acabar... Mas acho que só vai acabar nas mãos de outro qualquer país. É que infelizmente não haverá nenhuma epidemia de lucidez, e o povo continuará o mesmo.

João disse...

Olá a todos.

Eu fui um dos "infelizes" burros e calões a quem se referem... será que vale a pena dizer que, no ano lectivo de 2008/2009 estive em Évora e fiz com notas acima de 14, laboratórios como "Técnicas e Métodos de Laboratório" (uma cadeira IGUAL), "Química Orgânica", "Química Geral" e "Bioquímica" e este ano, na FCT, o único laboratório a que chumbei foi este "básico" entre "Química-Física" e "Química Inorgânica"... A mim parece-me estranho... E vou passar a explicar como eram feitos os exames "práticos"... os alunos eram encaminhados para um laboratório onde lhes era dito para fazer montagens simples como destilações simples ou fraccionadas e outras feitas nas aulas. Depois de fazermos as montagens, que quase toda a gente conseguia fazer, os professores avaliadores disparavam perguntas teóricas a cada aluno sobre outras cadeiras e assuntos que não foram abordados nas aulas. O mais giro é que quando os alunos erravam, os professores gritavam entre laboratórios as calinadas que ouviam e gozavam com os alunos. Isto é tudo verdade. Não há aqui ponta de mentira. Acho engraçado que a culpa seja sempre dos alunos, sendo o professor exigente... No exame teórico de recurso, as notas davam vontade de rir... 50 pessoas com nota de valor 7, uma com 9 e outra com 11... nós achámos muitos 7s mas também, quem é que acredita na estatística?

Vasco disse...

Oh João, se alguns meninos nasceram em berço de ouro e nunca receberam um grito o azar é deles!

A maior parte dos estudantes ainda tem muito (e desculpa a expressão, aplicada tantas vezes pelos meus pais), peido de cigano para levar!

Como é que esperas que as pessoas se agarrem aos seus fracos objectivos? Estas a dizer que a professora tem culpa do quê exactamente? É de chumbar os alunos ou de gritar com eles?

Pois eu vi alunos fazerem coisas que se eu fosse professor nem gritava, chumbava-os de imediato.

As perguntas teóricas de que falas, ela perguntava a um e outro é que respondia. Sabes a quê é que isto da direito??? Ela não os chumbou, dando mais uma oportunidade.

Isto tudo para te dizer que no futuro seres um trabalhador, um "reles" trabalhador aos olhos de um director de uma empresa. E tens que estar preparado para ouvir muita merda que não gostas e calar.

Agora... É mentira que a professora chumbou metade dos alunos. Mas é verdade que não se pode dizer que a culpa é exclusiva dos alunos. Mas se os alunos lidam mal com as técnicas de ensino, os docentes têm sempre as portas abertas para nos receberem. Para mim tiveram e eu sou tanto como qualquer um.

Mas se metade chumbam a TLS, reparaste a percentagem que passou a EAA I ? Vê...

E diz-se se agora vamos começar a afastar os professores todos das regências!

Vasco disse...

"disparavam perguntas teóricas a cada aluno sobre outras cadeiras e assuntos que não foram abordados nas aulas"

Ah, joão, não canses a minha inteligência nem a dos meus leitores com brincadeiras destas... Sabes perfeitamente que os professores de TLS fazem perguntas só relacionadas com a cadeira, porem eles sabem que a Introdução à Química e Física aprofundamos a matéria. Além disso eu tive aulas com 3 docentes diferentes e todos faziam o favor de avisar que a teoria deve ser toda estudada e todas as aulas praticas faziam perguntas sobre o trabalho a realizar.
Portanto, se não te perguntaram nada que não estivesse relacionado com a matéria leccionada, não tens nenhuma razão nessa afirmação.