2 de novembro de 2011

Mais "Novas" da DGES

Uma vergonha autentica.
O mail, copiado do pdf em coluna, deles:

Atendendo que para a análise do seu requerimento resulta a necessidade de apresentação de documentação
complementar, serve o presente para solicitar que sejam apensos ao seu requerimento os seguintes documentos:
Esclarecer a situação económica: recurso a
poupanças ou ajudas de terceiros (deve
mencionar o valor mensal ou anual dos
mesmos)
Outros documentos
Fotocópia do Imposto Municipal sobre Imóveis
Extracto de remunerações registadas na
Segurança Social (excepto funcionários
públicos que efectuem descontos para a CGA e
ADSE)
insuficientes face ás despesas. Esclarecer esta situação
por forma a ter um resultado de bolsa mais favorável.
Tem ajudas? Vive com os pais ou outras pessoas?
Entregar o Atestado de Residência com a composição
do agregado familiar
Entregar fot; Se estiver isento solicitar nas Finanças
declaração de existência ou não de bens patrimoniais e
respectivo valor.
Solicitar na Seg. Social desde o ano de 2009
Fica V. Exa. notificada(o) para, no prazo de 10 (Dez) dias, juntar a documentação solicitada ao seu
requerimento.


A minha resposta:

Boa noite, gostaria de pedir esclarecimentos em relação ao pedido de documentos adicionais.
No mail por vós enviado diz que os meus rendimentos são insuficientes face às despesas, a essa observação faço notar que não é esta bolsa a que me candidato que me mata a fome, mas sim um amigo com quem vivo, na sua própria casa, onde de facto tenho de contribuir para as despesas. Se me pedem um valor para o tecto que me abriga e a comida que me dão, esses não têm valor, é incalculável, como qualquer amizade. Face aos aumentos recentes e visto que gasto só na casa e bens essenciais cerca de 100€ e visto que o conjunto de passes sem apoio social me custam outros 100€, é lógico que se perguntem o que resta do dinheiro que recebo do meu part-time.
A verdade é que, como a maioria dos portugueses, tive que me endividar devido à justiça de atribuição das bolsas. Sempre recebi o mínimo ou perto do mínimo, como tal tenho um empréstimo ao banco que me suplementa 170€ mensais para poder comer na faculdade (pensem bem que cerca de 5€ por dia em comida só na faculdade e contando 22 dias úteis isto dá 110€, restam-me portanto 60 euros). Esses 60 euros esticam até ao limite, entre lágrimas e desespero até ao inicio do próximo mês.
Assim sendo, que pretendem com a "Declaração sob compromisso de honra a esclarecer a situação económica: recurso a poupanças ou ajudas de terceiros (deve mencionar o valor mensal ou anual dos mesmos) : Candidato"?: Um documento manuscrito scanado e assinado por mim?
Que pretendem com os documentos "Outros" onde fazem a observação: "Atestado de Residência com a composição do agregado familiar"? O IRS ao qual têm acesso tem as informações que aqui me pedem, onde vivo e o meu agregado - não sou casado, não sou unido de facto nem vivo com família, portanto... Agregado familiar sou eu, isso é bastante claro no IRS. Se não, por favor explicitem o que pretendem, e onde obtenho o que pretendem.
Que pretendem com "Extracto de remunerações registadas na Segurança Social (excepto funcionários públicos que efectuem descontos para a CGA e ADSE) : Candidato", sendo que pedem desde 2009: visto que a minha primeira bolsa foi pedida em 2009/2010 têm os meus rendimentos desde então, é mesmo preciso eu faltar a um dia de aulas, que sendo bolonha tenho faltas e são essenciais ao meu percurso académico?
Espero brevidade na resposta, visto o curto prazo que me dão para vos fornecer todos os documentos que pedem.
Obrigado,
Vasco Ribeiro.

5 comentários:

Livedtrid disse...

Boas!

Também recebi esse email. O que é essa Declaração sob compromisso de honra a esclarecer a situação profissional? Existe algum modelo? Não encontro nada no google...
Obg

Vasco disse...

Olá,
Se procurares no google encontras modelos em bruto, trata-se de dizeres que

"Eu "o meu nome", portador do BI numero "########", declaro sob compromisso de honra que recebo ajuda / não recebo ajuda, etc... para os devidos efeitos,

Sitio, Data, assinatura como o BI.

Quando perguntei disseram que isto bastava, e, obviamente, ainda estou à espera da bolsa...

Joana d'Art disse...

Boa tarde Vasco,

desculpa intrometer-me no teu blog, mas este post realmente exprime a frustração que sinto em relação à (in)competência da DGES. Também recebi o aviso para entregar alguns desses documentos que te pediram a ti, e também fiquei na dúvida em relação à "Declaração sob compromisso de honra a esclarecer a situação económica (...)". Não faço ideia do que poderei esclarecer mais do que já foi alguma vez esclarecido no batalhão de documentos que lhes enviei nestes dois anos de candidaturas (ainda não foi aceite, mas continuo a tentar). Eles explicaram o que tinhas que esclarecer ao certo nesse compromisso de honra ou deram-te alguma indicação?

Obrigada desde já pela atenção (e parabéns, já vi que foste aceite!) :)

Joana d'Art disse...

Desculpa, só vi agora nos comentários o que eles te responderam... mas é apenas isso? É que eles dramatizaram tanto a questão de esclarecer a situação económica (com a história de ser penalizado segundo o artigo 41º do Regulamento e etc.) que pensei que fosse algo mais complexo. Mesmo assim não vejo como posso esclarecer algo que já vem na papelada do IRS, mas estamos a falar da DGES...

Vasco disse...

Olá Joana,
deves perceber bem a minha frustração quando me pedem informações que já tinham!

Na realidade eles pedem todos os papeis porque querem saber se falamos de facto a verdade. A única coisa que lhes "deu" mais informação foi o compromisso de honra, pois como eu tenho rendimentos muito baixos, o sistema não me atribui bolsa mas sim um carimbo de caloteiro (isto sou eu a especular).

De qualquer modo responderam-me sempre atempadamente (a partir da SASNOVA, onde está a pessoa encarregue da minha candidatura).

Fiquei feliz pelo valor da minha bolsa, pois duplicou e permite-me uma maior confiança para enfrentar as dificuldades económicas. A única coisa que me incomoda é que as minhas condições neste ano lectivo são as mesmas do anterior (porque duplicou este ano e não o anterior?).

É triste ainda estares à espera. Assim como a realidade que se avizinha neste novo ano, e as perspectivas de futuro que nós jovens temos no nosso país. As empresas estão a fechar, tal como as unidades de investigação; chega a haver a hipótese de não haverem aulas práticas no próximo semestre devido à falta de orçamento...

Enfim, espero que recebas a bolsa brevemente. Volta quando quiseres! ; )