19 de abril de 2011

A minha agenda

Há três anos atrás comecei a utilizar agendas. Não electrónicas, mas sim em papel, pois as dos telefones são quase intocáveis, ou seja, praticamente não se inscrevem no nosso quotidiano, devido à sua inerente futilidade expressa num gadget sempre desactualizado.
Uma agenda precisa de ser palpável. Preciso de lhe sentir o cheiro do papel, sentir a textura e personalizá-la a meu gosto. Precisa de ser mais que um registo que passada a data do evento se apaga e esquece, é necessário ser algo que ali ficou, para mais tarde se consultar, por muito fútil que às vezes a nota possa parecer.
Estou grato a quem me apresentou os Moleskine. Embora caros (mais do que deveriam), fazem já parte de mim, como uma cultura. Uma agenda com história, já utilizada por van Gogh, Picasso, Hemingway...
Não é apenas um capricho, embora seja fiel à marca. Chateia-me ver “cópias” que lembram os originais, como por exemplo os da Book.it.
Estou numa semana calma. Uma das poucas em que a minha agenda apenas diz: férias. Mas vai acabar tão rapidamente... E vou entrar numa semana que tem aulas, práticas, dúvidas com os professores, testes marcados, gabinetes reservados, horários de trabalho, renovação dos empréstimos dos manuais... Mas ela está sempre comigo.

Obrigado Ritchie. ; )

15 de abril de 2011

Quorum Ballet

Foi hoje, dia 15 de Abril, o dia de ver o espectáculo Substâncias do Quorum Ballet, numa aliança entre a arte e a ciência química.
Sem dúvida que é um espectáculo a não perder em especial por ser o Ano Internacional da Química. Este reflecte a química (inorgânica), nas interacções humanas, fazendo uma transposição personificada dos elementos (ouro, prata, cobre, sódio, iodo, bromo e enxofre).

"A Química é algo omnipresente e, a Dança, uma das formas de "explicar" as omnipresenças". Daniel Cardoso, Director Artístico.


Aproveito para dizer... BOA PÁSCOA! ; )

2 de abril de 2011

Mais e mais

E mais testes...
Recomeçou a grande luta pela minha fantástica média *ironia*.
O 16,5 a bioquímica soube-me bem, mas parece que as restantes não sofreram de tamanha sorte. Nada como umas semanas de estudo intensivo na biblioteca para resolver o assunto (se passei com 14 a estatística passo a qualquer coisa com este método!).
Desejem-me sorte. ; )